10 truques de psicologia que você pode usar para influenciar as pessoas

Antes de começarmos, é importante notar que nenhum desses métodos se enquadra no que chamaríamos de “artes escuras de influenciar as pessoas”. Qualquer coisa que possa ser prejudicial a alguém de qualquer maneira, especialmente a sua auto-estima, não está incluída aqui. Estas são maneiras de ganhar amigos e influenciar as pessoas usando psicologia sem ser um idiota ou fazer alguém se sentir mal.

 

1 – Peça favores

Peça a alguém para fazer um favor para você, também conhecido como o efeito Benjamin Franklin. A lenda diz que Benjamin Franklin queria conquistar um homem que não gostava dele. Ele pediu ao homem para lhe emprestar um livro raro e, quando o livro foi recebido, ele agradeceu graciosamente. Como resultado, este homem que nunca quis falar com ele antes, tornou-se um bom amigo de Franklin . Para citar Franklin: “Aquele que uma vez te fez uma gentileza estará mais preparado para te fazer outra que alguém que nunca a fez”. Os cientistas decidiram testar esta teoria e descobriram que aqueles que foram requisitados pelo pesquisador sobre fazer um favor pessoal, esse grupo reagiu muito melhor que os outros grupos pesquisados. Pode parecer contra-intuitivo, mas a teoria é bastante sólida. Se alguém faz um favor para você, eles são susceptíveis de racionalizar que deve valer a pena fazer o favor para você, e decidem que, portanto, eles devem gostar de você.

 

2 – Peça uma coisa extremamente difícil para chegar ao objetivo
Este truque é por vezes conhecido como a porta na abordagem. Você começa jogando um pedido realmente ridículo a alguém – um pedido que provavelmente rejeitará. Você volta então logo depois e pede algo muito menos ridículo (e difícil) – a coisa que você realmente queria, em primeiro lugar. Este truque também pode soar contra-intuitivo, mas a idéia por trás disso é que a pessoa vai se sentir mal por recusar o seu primeiro pedido, embora não fosse razoável, então quando você pedir algo razoável eles se sentirão obrigados a ajudar neste momento. Os cientistas testaram este princípio e descobriram que ele funcionou extremamente bem , desde que a mesma pessoa pediu tanto o favor maior e menor, porque a pessoa se sente obrigada a ajudá-lo pela segunda vez sem relutar.

 

3 – Use o nome de uma pessoa, ou seu titulo, dependendo da situação
Dale Carnegie, autor de How to Win Friends e Influence People , acreditava que usar o nome de alguém era incrivelmente importante. Disse que o nome de uma pessoa é o som o mais doce em toda a língua para essa pessoa. Um nome é a parte central de nossa identidade, e assim ouvi-lo valida nossa existência, o que nos torna muito mais inclinados a sentir positivamente sobre a pessoa que nos validou. Mas usar um título, ou apelido também pode ter efeitos fortes, de acordo com o princípio ” como se ” . A idéia é que se você agir como um certo tipo de pessoa, você se tornará essa pessoa, é um pouco como uma profecia auto cumprindo. Para usar isso para influenciar os outros, você pode se referir a eles como o que você quer que eles sejam, para que eles vão começar a pensar em si mesmos desta forma. Isso pode ser tão simples como chamar um conhecido que você quer mais perto de “amigo”, ou “companheiro” sempre que você vê-los, ou referindo-se a alguém que você quer trabalhar para como “chefe.”

 

4 – Espelhe seu comportamento
Espelhamento também é conhecido como mimetismo, e é algo que algumas pessoas fazem naturalmente. As pessoas com essa habilidade são consideradas camaleões; Eles tentam se misturar em seu ambiente, copiando os comportamentos de outras pessoas, maneirismos e até mesmo padrões de fala. No entanto, esta habilidade também pode ser usada conscientemente, e é uma ótima maneira de torná-lo mais agradável . Os pesquisadores estudaram o mimetismo e descobriram que aqueles que haviam sido imitados eram muito mais propensos a agir favoravelmente em relação à pessoa que os havia copiado. Ainda mais interessante foi a sua segunda descoberta que aqueles que tinham alguém imitando o seu comportamento eram realmente mais agradável para os outros em geral, mesmo aqueles não envolvidos na situação. É provável que a razão pela qual isso funciona é que espelhar o comportamento de alguém faz com que eles se sintam validados. Embora esta validação seja provavelmente mais positivamente associada com a pessoa que os validou, eles vão sentir uma maior auto-estima e, portanto, ser mais confiança, mais felizes e bem dispostos para com os outros.

 

5 – Peça favores quando alguém estiver cansado
Quando alguém está cansado, está mais suscetíveis a tudo o que alguém pode dizer, se é uma declaração ou um pedido. A razão para isso é que quando as pessoas estão cansadas não é apenas seu corpo físico, seus níveis de energia mental caem também . Quando você pedir um pedido de alguém que está cansado, você provavelmente não vai obter uma resposta definitiva, mas provavelmente um “vou fazê-lo amanhã”, porque eles não querem lidar com as decisões no momento. No dia seguinte, eles provavelmente seguirão porque as pessoas tendem a manter a palavra; É naturalmente psicológico querer seguir com algo que você disse que faria.

 

6 -Comece com um pedido pequeno, e suba conforme as semanas.
Este é o contrario da técnica 2. Em vez de começar com um grande pedido, você começa com algo realmente pequeno. Uma vez que alguém se comprometeu a ajudá-lo, ou concorda com algo, eles agora são mais propensos a concordar com um pedido um pouco maior. Os cientistas testaram este fenômeno no que diz respeito ao marketing. Começaram por fazer com que as pessoas expressasse apoio às florestas tropicais e ao meio ambiente – o que é um pedido bastante simples. Então eles descobriram que uma vez que eles tinham conseguido que expressassem seu acordo para apoiar o meio ambiente, eles eram muito mais fáceis de convencer quando se tratava de comprar produtos que suportassem florestas tropicais e outras coisas desse tipo. No entanto, não comece com um pedido e imediatamente atacá-los com outro. Psicólogos acharam muito mais eficaz se você esperar um dia ou dois para fazer o segundo pedido.

 

7 – Não corrija as pessoas quando estão erradas.
Carnegie também apontou em seu famoso livro que dizer a alguém que eles estão errados é geralmente desnecessário e faz eles desgostarem de você. Existe realmente uma maneira de mostrar desacordo e transformá-lo em uma conversa educada sem dizer a alguém que eles estão errados, que atinge o núcleo do seu ego. Isso é chamado de Ransberger Pivot , inventado por Ray Ransberger e Marshall Fritz. A idéia por trás disso é bastante simples: em vez de discutir, ouvir o que eles têm a dizer, e depois procurar entender como eles se sentem e por quê. Então você explica o terreno comum que você compartilha com eles, e usar isso como um ponto de partida para explicar sua posição. Isso os torna muito mais propensos a ouvir o que você tem a dizer, e permite que você corrija sem eles perder atrito.

 

 8 – Parafrasear as pessoas e repetir o que acabaram de dizer.
Uma das maneiras mais positivas de influenciar os outros é mostrar-lhes que você realmente entender como eles se sentem, que você tem empatia real para eles. Uma das maneiras mais eficazes de fazer isso é parafraseando o que eles dizem e repetindo-lo de volta para eles, também conhecida como escuta reflexiva. Estudos têm demonstrado que quando os terapeutas usavam a escuta reflexiva, as pessoas provavelmente revelariam mais emoção e teriam um relacionamento terapêutico muito melhor com o terapeuta. Isso facilmente se transfere para conversar com seus amigos. Se você ouvir o que eles dizem, e reformulá-lo como uma pergunta para confirmar que você entendeu, eles vão ser mais confortável conversando com você. Eles também vão ter uma melhor amizade com você e ser mais propensos a ouvir o que você tem a dizer, porque você mostrou que você se importa com eles.

 

9 – Gesticule enquanto você fala, especialmente quando levando a pedir um favor.
Os cientistas descobriram que quando as pessoas acenam ao ouvir algo, eles são mais propensos a estar de acordo com ele . Eles também descobriram que quando alguém está balançando a cabeça muito na frente deles, é natural para eles fazerem o mesmo. Isto é compreensível porque os seres humanos são bem conhecidos na imitação comportamentos, especialmente aqueles que eles consideram ter conotações positivas. Então, se você quiser ser mais convincente, gesticule regularmente durante a conversa. A pessoa com quem você está falando vai achar difícil não se acenar, e eles vão começar a se sentir agradáveis em relação ao que você está dizendo, sem mesmo saber sobre oque você está dizendo.

 

10 – Lisonja realmente vai te levar para todos os lugares.
Este pode parecer óbvio no início, mas há algumas advertências importantes para ele. Para começar, é importante notar que, se a lisonja não é vista como sincera, vai fazer mais mal do que bem. Mas os pesquisadores estudaram as motivações por trás da reação dos povos à lisonja, e encontraram algumas coisas muito importantes . Para colocá-lo simplesmente, eles descobriram que as pessoas tendem a procurar o equilíbrio cognitivo, tentando sempre manter seus pensamentos e sentimentos organizados de forma semelhante. Então, se você lisonjeia alguém que tem alta auto-estima, e é visto como sincero, eles vão gostar de você mais, como você está validando como eles se sentem sobre si mesmos. No entanto, se você lisonjear alguém que tem baixa auto-estima, há uma chance de que ele poderia dar a volta e fazer com que eles gostem de você menos, porque interfere com a forma como eles percebem a si mesmos. Isso, naturalmente, não significa que você deve degradar uma pessoa de baixa auto-estima!

Post Author: André

Microempresário de tempo integral, estudante em tempos vagos e blogueiro em tempos livres.

Comente: